Sejam Bem Vindas (o), finalmente consegui colocar meu blog no ar, espero poder mantê-lo sempre bem atualizado. Criei este blog no intuito de ajudar gestantes e futuras gestantes a se informarem mais sobre o processo gestacional vivido ou desejado... Por vivermos em um mundo capitalista e consumista hoje quando engravidamos a primeira preocupação sempre é com enxoval, quarto, chá de bebe etc... E esquecemos um pouco desse processo de tamanha magnitude que é gestar, dar a vida a um outro ser. Infelizmente mais de 50% das mulheres hoje fazem cesaria por opção, pois para elas não mais existe outra forma de "dar a luz", e ter um parto natural sem intervenções usufruindo dos benefícios do próprio corpo, é totalmente absurdo e totalmente anormal.
O nosso principal trabalho é o condicionamento da mente porque o corpo já está pronto. Lembrando sempre que a cesariana é um ótimo recurso se bem indicado, então não somos contra esse tipo de interferência! Aqui no blog postarei alguns artigos que possam ajudar no condicionamento da mente e preparo do corpo! Espero que gostem e por favor postem também opiniões, sugestões etc....

Grata

0

Relato de Parto Andresa, Alex e Alexandre.

 Bom eu nunca achei que fosse capaz de fazer muitas coisas, quando eu engravidei passava com o meu ginecologista de sempre, ai comecei a me informar sobre os tipos de parto que queria, foi quando conheci o parto humanizado, logo de cara me apaixonei e decidi que seria esse. Então fui ao meu médico perguntar como fazer e ele me informou que é contra esse tipo de parto “porque judia muito da mulher”. Eu é claro não me conformei e fui atrás de quem faria, depois de muita busca encontrei a Dra. Débora, eu já estava com seis meses.
Então quando eu estava com 36 semanas não sentia dor nem nada, só estava gripada e percebi que o meu tampão estava começando a sair, ai a Dra. Débora já havia me indicado a Natalia como doula, comentei com ela e ela me tranqüilizou porque se a bolsa não estourou tudo bem. Mas como eu estava gripada resolvi ir ao hospital e encontrei a Dra Débora e a Natalia lá, fiz um exame e mostrou que eu estava com três dedos de dilatação a Dra falou você já esta com 37semanas e esta com contração se ele quiser nascer vamos deixar vir mesmo com 37 semanas, ai achamos que nasceria no final do mês e marquei uma ultima consulta com a Dra Débora.
No dia 21/10 as 13:00 hs fui para a consulta sem sentir nada, na consulta foi tudo bem tranqüilo como achávamos que iria demorar mais umas três semanas para ele nascer ela me emprestou o Epi-no um aparelho para ajudar na eslaticidade do períneo para não haver laceração. Fui para casa e falei com meu marido vou dormir um pouco depois faço, vejo como funciona o Epi-no, isso era 17:00hs. De repente acho até que escutei um estouro, acordei assustada e quando levantei começou a descer uma água, ai percebi que havia chegado a hora chamei meu marido no quarto e ele apareceu com os olhos arregalados rsrsr acho que ele também percebeu rsrs. Liguei para Dra Débora que me pediu para marcar as contrações, meu marido começou a marcar e estava de 5 em 5 minutos, como era sexta-feira a noite ela falou que podia ir para o hospital pois poderia estar transito e assim eu fui.
Chegando la as contrações já estavam mais fortes, fiquei super preocupada porque as enfermeiras não escutam muito o que agente fala e eu tinha medo de chegar la e elas quererem me fazer cesárea, ficava toda hora perguntando se a Natalia ou a Dra tinham chegado, fizeram o exame de toque e eu estava com 7 dedos de dilatação. Enfim me informaram que a Dra e a Natalia já estavam na sala de parto me esperando, é engraçado como fiquei com medo de tudo, queria ir andando para sala mas fiquei com medo de desmaiar no caminho então fui de cadeira de rodas mesmo. Cheguei à sala e encontrei a Natalia e a Dra ai fiquei com medo porque meu marido tava na recepção fazendo o registro e não chegava logo. A essa altura já era 23:00hs meu marido chegou e eu estava com muita dor, o ambiente é bem tranqüilizante, pouca luz, musica, incenso mas mesmo assim tava com muita dor, sentei na bola, deitei, levantei, andei e dor. Até que a Natalia falou se eu queria entrar na banheira, não tive duvidas, na hora que entrei aaaa até arrepiei de tão gostoso o alivio que deu rrsr . Logo em seguida comecei a sentir muita dor novamente e a Dra falou você deve estar com 10 de dilatação e fez o toque dito e feito já tava com 10. Ai o bixo pegou porque doía muito, ai só para variar fiquei com medo, porque tava com tanta dor que achava que ia desmaiar e tava com medo de não conseguir fazer força. Foi quando ela falou se quiser pode empurrar e eu o fiz, na segunda vez falei que não tava agüentando (É incrível a paciência que elas tem rsrsr) a Dra falou “já da para ver a cabecinha, coloca a mão para sentir”. Quando eu coloquei a mão senti os cabelinhos do meu príncipe e pensei “agora é só eu e você” e assim foi mais força 2 vezes e a cabeça saiu, não senti o tal circulo de fogo que falam. Logo em seguida meu príncipe já estava em meus braços. Sem complicações, sem nenhuma intervenção, sem laceração, enfim perfeito um parto perfeito na água como sempre sonhei. Agradeço muito ao meu marido que ficou o tempo todo ao meu lado apoiando, a Dra Débora e a Natalia que foram maravilhosas com muito apoio, paciência e competência, teve também o Dr. Cácá que conheci na hora muito fofo e atencioso.
É isso, nada do que eu ou qualquer outra pessoa possa falar, descreve esse momento único em nossas vidas, o AMOR é tão forte entre nós (eu, meu marido e nosso príncipe) que naquele momento quem entrasse na sala ia sentir. E a partir daquele momento me sinto capaz de tudo principalmente se for pelo meu Alexandre.






Relato de parto Andresa, Alex e Alexandre - Parto Natural hospitalar na banheira!
Andresa obrigada por seu lindo relato, e foi muito especial para mim poder estar presente neste momento tão especial na vida de vocês!
Beijão!

0 comentários:

Postar um comentário