Sejam Bem Vindas (o), finalmente consegui colocar meu blog no ar, espero poder mantê-lo sempre bem atualizado. Criei este blog no intuito de ajudar gestantes e futuras gestantes a se informarem mais sobre o processo gestacional vivido ou desejado... Por vivermos em um mundo capitalista e consumista hoje quando engravidamos a primeira preocupação sempre é com enxoval, quarto, chá de bebe etc... E esquecemos um pouco desse processo de tamanha magnitude que é gestar, dar a vida a um outro ser. Infelizmente mais de 50% das mulheres hoje fazem cesaria por opção, pois para elas não mais existe outra forma de "dar a luz", e ter um parto natural sem intervenções usufruindo dos benefícios do próprio corpo, é totalmente absurdo e totalmente anormal.
O nosso principal trabalho é o condicionamento da mente porque o corpo já está pronto. Lembrando sempre que a cesariana é um ótimo recurso se bem indicado, então não somos contra esse tipo de interferência! Aqui no blog postarei alguns artigos que possam ajudar no condicionamento da mente e preparo do corpo! Espero que gostem e por favor postem também opiniões, sugestões etc....

Grata

0

Relato de Parto Luana

Relato do meu parto
Hoje minha garotinha completa 4 dias de vida, tudo ainda é muito novo e ainda estou sob efeito do parto.
Sempre que lembro daquele momento me emociono foi incrível, intenso e muito especial.
Toda vez que lembro da minha médica tenho vontade de chorar e não terei nunca palavras para agradecer o que ela me proporcionou, entao vou começar meu relato por aí.
Minha gestação foi muito tranqüila, mas por conta de um erro médico, que não viu a Felipa no primeiro US, fui obrigada a acreditar que ela não viria e isso mudou o rumo da gestação.
Primeiro, descobri que a medica que me acompanhava até o momento, que eu sentia muita confiança, não poderia fazer meu parto no único hospital que meu plano cobria. Isso eu descobri quando conversamos sobre curetagem, já que segundo a médica do US, nao havia bebê.
Quando por fim o erro foi desfeito por um médico do convenio, retomei de forma bem lenta a sensação de estar gravida, só que agora cheia de medo de perder esse bebê tão desejado, enfim, fiz muita forca pra esquecer e seguir adiante.
Após alguns meses, mais confiante, retomei a busca por um obstetra para fazer meu parto.
Sabia que para ter as minhas vontades respeitadas, para que minha filha nascesse de maneira respeitosa precisava de um obstetra que acreditasse nisso também.
Como não conhecia nenhum outro médico que fazia partos humanizados fiz uma busca na internet e liguei para vários da lista e perguntava se faziam parto no Sta. Joana. A maioria não fazia, entao marquei com 2 que atendiam lá.
Na primeira consulta com um deles, ele me colocou pra ver vídeos, ficou vendo meus exames, não gostei. A segunda que se dizia humanizada disse que nao trabalhava com doula (como assim?) e tbm disse que teria que fazer tricotomia... Dançou tbm....
Então, sem mais escolhas, desesperada, resolvi dar uma ultima pesquisada, foi quando em uma lista achei a Deborah. Liguei, agendei uma consulta e pronto!  Na hora sabia que seria ela a cuidar de mim durante o parto.
Os meses passaram, tudo ótimo, até chegar as 40 semanas. Aí comecei a ficar ansiosa, queria conhecer a minha filha, mas ela parecia muito bem dentro da barriga.
Com 40 semanas e 5 dias depois da consulta  sai tranqüila achando que estava chegando, graças ao jeito tranquilo da Deborah.
E assim foi na madrugada seguinte as contracoes pegaram, 4:40 elas ficaram de 10 em 10 minutos e as 8:00 já estava com bastante dor.
Seguimos para maternidade, a deborah me examinou e já estava com 5'pra 6,'resolvemos ficar. Eu, ela, meu marido e a Nathalia (doula querida, chegou depois)
Já no delivery room, com a luz bem fraquinha, uma musica um insenso, fiquei na cadeira, na bola, no chuveiro enquanto a Deborah assistia sem pressão a evolução do parto. Recebi apoio dela, da nathalia e do meu marido o tempo todo, mas as 13:00 já estava ficando cansada.
Neste momento pedi pra ser examinada, pra saber como estava indo. Estava com 7 cm, aí resolvi que queria analgesia. Estava muito cansada.
Depois da analgesia as dores diminuíram, e em 30 minutos já estava com 10 cm, o problema era que nao sentia direito as contracoes pra fazer forca, entao essa parte foi bem ruim.
Fiquei mais de uma hora em diversas posições, mas nao sentia as contracoes, e a bb não descia com a minha força mas graças a Deus a dose foi bem fraca e logo a analgesia diminuiu e voltei a sentir as contracoes bem forte.
Só que nada da Felipa aparecer! Acho que nessa hora já estávamos todos cansados e foi aí que apareceram o Caca ( neonatologista, mas excelente parteiro) e a Betina, que era minha primeira médica... Eles chegaram trazendo a renovação, a energia que faltava pra que tudo desse certo.
Entao com toda essa ajuda, dei muitos gritos, berrei mesmo, fiz muita forca e ela apareceu! Com uma circular de cordão, mal encaixada e com os dois ombros ao mesmo tempo, do jeito que ela quis!
Incrível! Sentir ela sair foi a melhor sensação do mundo! Nao senti esse circulo de fogo, assim como nao senti forca igual a de fazer coco, mas assim foi o meu parto.
Lembro da alegria que contagiou a sala depois do nascimento da Felipa e lembro da gratidão que senti por todos aqueles profissionais que estavam ali, que fizeram do meu parto único, intenso e inesquecível.
Nao poderia deixar de agradecer o meu companheiro Maurilio, que foi maravilhoso no parto. Me apoiou, me ajudou, me incentivou, acreditou em mim, vibrou, chorou e comemorou muito chegada da nossa filha tão querida.
Obrigada mesmo! Que a minha filha seja muito feliz!
Luana



0 comentários:

Postar um comentário